Como escolher geladeiras com melhor custo-benefício

Dicas exclusivas para ajudar você na escolha da sua próxima geladeira

1.365 Visualizações

Há quem viva sem fogão, sem microondas, sem TV ou até mesmo sem computador, mas não dá para imaginar uma casa sem geladeira. Mas como escolher o modelo com melhor custo-benefício? O que você deve levar em consideração na hora da escolha?

Neste post, separamos algumas dicas para ajudar você na escolha da sua próxima geladeira. Acompanhe!

Como escolher a melhor geladeira?

Alguns pontos para você levar em consideração:

1. Orçamento

Embora seja óbvio, é sempre importante reforçar: o primeiro passo para escolher a geladeira com melhor custo-benefício é definir seu orçamento. Esse recorte vai ajudar você a entender melhor os modelos que se encaixam dentro das suas condições.

2. Uso

Você vive sozinho ou em família? Quantas pessoas moram com você? Quais são seus hábitos alimentares? Precisa de um congelador grande para armazenar a comida da semana? Ou preparar as refeições todos os dias?

Todas essas respostas são essenciais para encontrar o modelo com melhor custo-benefício. Afinal, para uma família de cinco pessoas, uma geladeira de uma porta com congelador pequeno talvez não dê conta. Da mesma forma, uma geladeira side by side para um solteiro pode ser um exagero.

Leia mais: 10 dicas de como organizar uma mesa de jantar

3. Tamanho

Você já definiu quanto pode gastar e refletiu sobre o uso da geladeira na sua casa. Agora, o próximo passo é o tamanho do aparelho. Geladeiras são eletrodomésticos grandes e nem todos os modelos cabem em qualquer cantinho.

Por isso, antes de ir às compras, meça bem a profundidade, a largura e altura do espaço que você tem disponível na sua cozinha. Quem tem móveis planejados precisa prestar ainda mais atenção.

Durante a tiragem das medidas, não se esqueça de considerar uma folga atrás, laterais e em cima. Geladeiras que ficam muito fechadas podem ter seu funcionamento comprometido, pois o calor gerado pelo motor não vai ter por onde escapar, exigindo mais capacidade de resfriamento – o que pode refletir na conta de luz!

4. Capacidade

Nem sempre o tamanho condiz com a capacidade da geladeira. O tamanho do congelador, as divisões, a presença ou não de dispenser de gelo e água, tudo isso influencia no espaço interno.

Além disso, a capacidade tem relação direta com o uso. Como vimos, se a família for grande, é importante considerar modelos maiores. Já se você vive sozinho, aparelhos menores de litros podem ser o suficiente.

Existem diferentes categorias de capacidade, como:

  • Baixa capacidade: são os modelos com até 300 litros, ideais para pessoas que vivem sozinhas ou, no máximo, casais que não costumam fazer todas as refeições em casa durante a semana.
  • Média capacidade: geladeira entre 300 e 400 litros, que atende tranquilamente famílias de até quatro pessoas com uso moderado ou casais que utilizam o aparelho com muita frequência.
  • Alta capacidade: aparelhos com mais de 400 litros. Alguns modelos passam dos 700 litros! Essas geladeiras são voltadas para famílias grandes ou grupos com 6 ou mais pessoas.

E a mesma análise deve ser feita com a capacidade do congelador: se você costuma congelar muita comida ou gosta de gelar bebidas, considere uma geladeira com freezer maior ou, melhor ainda, os modelos duplex ou side by side, que costumam ter um freezer mais generoso.

5. Funções

A grande maioria das geladeiras disponíveis hoje no mercado são do tipo frost free, que possuem um sistema que impede a formação de gelo na parte interna e elimina a necessidade de degelo.

No entanto, nem todas as geladeiras têm essa tecnologia, por isso fique atento. Além de prático, o frost free economiza bastante tempo na limpeza e evita o trabalho de ter que puxar a geladeira para desligá-la da tomada, como fazíamos antigamente.

No meio termo, há os modelos cycle defrost que juntam as duas formas de degelo: manual no freezer e seco no refrigerador. As grandes vantagens são o preço mais em conta e a necessidade menos frequente de fazer o degelo.

O freezer é outra função importante. Existem geladeiras mais simples com freezer em formato de gaveta, existem aquelas com compartimento extra-frio e há aparelhos em que o congelador fica separado, como as inverse, duplex e side by side.

Se ter gelo sempre à mão e água gelada disponível é um fator importante para você, então considere as geladeiras que agregam essa função.

Leia mais: Pisos para cozinha: conheça os materiais mais indicados

6. Modelos

Todos os fatores que analisamos anteriormente vão influenciar na sua escolha. A tecnologia permitiu a criação de diferentes tipos de geladeira, que aumentaram a variedade de modelos, quantidade de portas e funções.

Basicamente, temos cinco modelos:

  • Uma porta: geralmente aparelhos menores, as geladeiras de uma porta têm o freezer na parte de dentro, em forma de gaveta ou gaveta + compartimento extra-frio. São os modelos mais baratos do mercado.
  • Duas portas ou Duplex: são bastante tradicionais, trazendo uma divisão em duas portas: o congelador na parte de cima e o refrigerador na parte inferior. Via de regra são modelos maiores e atendem bem às famílias.
  • Inverse: são modelos duplex mas com a lógica invertida, ou seja, o freezer ia na parte de baixo. A ideia por trás dessa tecnologia é a economia de energia (o ar frio é mais denso e desce, o que colabora para a manutenção da temperatura do congelador) e, por isso, esses aparelhos costumam ser um pouco mais caros.
  • Side by side: geladeiras de duas portas lado a lado: um lado é o freezer e o outro o refrigerador. É um modelo bastante versátil e indicado para famílias maiores. É importante notar que esses aparelhos costumam ser menos profundos e mais largos; por isso, atenção com o espaço disponível!
  • French door inverse: é uma mistura de diferentes modelos. Conta com três portas e tecnologia invertida, ou seja, tem duas portas superiores para o refrigerador e uma porta inferior para o congelador. Este é o modelo mais caro de todos e voltado para famílias grandes e que usam muito todos os compartimentos.

7. Consumo

Não podemos falar de custo-benefício sem falar do consumo. Assim como outros eletrodomésticos, as geladeiras demandam um alto consumo de energia, ainda mais por serem aparelhos que ficam ligados à tomada 24 horas por dia. Por isso, é fundamental atentar-se à eficiência energética.

A forma mais fácil de fazer isso é consultar o selo Procel do aparelho. Essa classificação, em escala de letras, indica o consumo médio mensal, a nota de eficiência atribuída pelo Inmetro, além de outras informações técnicas.

8. Tecnologia

Nem toda geladeira é igual. Há diversas tecnologias que podem tornar o aparelho mais ou menos interessante. Uma delas é a tecnologia inverter, que traz motores mais modernos e eficientes para controlar o fluxo de energia do eletrodoméstico. Isso se reflete na redução do consumo e em melhor controle térmico.

Outra tecnologia que ajuda a evitar dores de cabeça são as geladeiras com alerta de porta aberta, indicadas para os distraídos e também para quem têm crianças em casa.

Por fim, o painel digital externo é outra facilidade interessante. Em vez de ter que abrir a geladeira e girar o termostato sempre que queremos mudar a temperatura, os aparelhos com painel externo permitem fazer ajustes sem abrir a porta. Em modelos com mais funções, também é possível controlar a produção de gelo e água.

Leia mais: Saiba como calcular a metragem de pisos e revestimentos

Já que você está buscando como escolher geladerias com melhor custo-benefício, conheça o Balaroti e veja as opções que temos disponíveis para você. Aqui você encontra diversos tipos de produtos para a sua casa e para a sua construção. Visite-nos.

SAIBA MAIS

👉 Qual aquecedor gasta menos energia?
👉 Pisos para cozinha: conheça os materiais mais indicados
👉 Tipos de tijolos para construção

Nos acompanhe nas redes sociais: curta a nossa página no Facebook, nos siga no Instagram, e se inscreva no nosso Youtube.